segunda-feira, 16 de agosto de 2010

JATEAMENTO DE AREIA É PROIBIDO EM TODO O PAÍS



O Ministério do Trabalho baixou uma portaria proibindo o jateamento de areia. Essa medida foi tomada para evitar o aumento do número de Trabalhadores com silicose (doença pulmonar crônica).

A silicose é irreversível e incurável. Ela é adquirida por meio da inalação de poeiras que contenham finas partículas de sílica. A evolução da doença é progressiva, provocando a incapacidade para o trabalho. O principal sintoma é a perda da capacidade respiratória, provocada pelo endurecimento das paredes dos pulmões (fibrose pulmonar). Além disso, os trabalhadores com silicose são mais suscetíveis à tuberculose.

Entre as atividades com maior risco de causar silicose e que apresentam casos mais graves da doença no Brasil destacam-se o jateamento de areia em processos abrasivos de limpeza de peças metálicas, no polimento de peças na indústria metalúrgica, fabricação de vidros e na construção e manutenção de embarcações. A poeira de sílica surge quando são realizadas tarefas de cortar, serrar, polir, moer, triturar, quebrar materiais que contenham sílica cristalina, como areia, concreto e certos minérios e rochas.

Existem diversas técnicas que substituem o jateamento de areia sem causar a silicose.

Tecnologias alternativas ao jateamento de areia:

- Jato de dióxido de carbono substitui jateamento de areia;

- Escória de cobre e a água altamente pressurizada (até 40.000 psi)
- Uso de um subproduto da bauxita no mesmo equipamento do jateamento de areia.
- Existem outras técnicas que evitam a poeira de sílica como o hidrojateamento.

LEGISLAÇÃO:

Portaria N.º 99 de 19.10.2004 - que proíbe em todo o País o uso de areia seca ou úmida como abrasivo nos processos de trabalho de jateamento.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Como evitar acidentes no ambiente de trabalho




Todos sabem e reconhecem que devemos evitar e prevenir os acidentes de trabalho que nada mais acontecem por falta de equipamentos adequados ou seja, o uso do EPI - Equipamento de Proteção Individual, que ajuda na prevenção dos acidentes de trabalho.


Segundo o Cosmo Palasio de Moraes Jr, " Tão importante quanto as medidas preventivas de acidentes são as medidas de minimização das consequencias do acidente. Lamentavelmente muitos profissionais e empresas ainda não entendem que as medidas pós acidente devem fazer parte do Programa de Segurança do Trabalho. Alguns colegas chegam a dizer que soa estranho que um prevencionista atue neste extremo; Costumo dizer a estes que se temos os olhos atentos a taxa de gravidade com certeza entenderemos bem o quanto as medidas de minimização são importantes já que á extensão de lesão ou dos danos esta diretamente ligada a quantidade de dias perdidos ou debitados como todos sabem estes fazem parte da Taxa de Gravidade. Ao mesmo tempo – na relação da empresa com as autoridades – interdição, descontinuidade das operações e com a comunidade – meios de comunicação, clientes, etc. – a diferença entre um acidente apenas com lesões ou morte, com incapacidade temporária ou definitiva – é fundamental. Obviamente dispensa comentar aqui o aspecto humano do assunto ".

O acidente de trabalho também pode ocorrer durante o percurso da residência do funcionário até a empresa; pode ser conseqüência de uma doença que foi devida ao exercício de determinado trabalho ou ainda, pode ser uma doença de trabalho que foi iniciada por motivo das condições onde o trabalho foi exercido. É importante saber que os acidentes de trabalho que podem ocorrer devido a atos praticados por terceiros como: agressões, terrorismo ou sabotagens também são considerados acidentes de trabalho.

É obrigatório que a empresa comunique o acidente até no máximo um dia útil após o ocorrido, tenha o empregado sido afastado ou não. No caso de morte a comunicação tem que ser imediata. O não cumprimento dessas regras levará à punição da empresa mediante multa. O acidente deve ser comunicado ao CAT.

Extraído de: http://www.trabalho.ws/acidentedetrabalho.php

Videos relacionados a segurança do trabalho.

Loading...