terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Publicação no DOU confirma: número de AFTs é insuficiente para o Brasil


Clic na imagem para ampliar.

O Aviso nº 01, da Secretaria de Inspeção do Trabalho-SIT/MTE, publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 20, confirma o que o SINAIT vem denunciando há tempos: o número de Auditores Fiscais do Trabalho – AFTs em atividade no Brasil é absolutamente insuficiente para atender as necessidades dos trabalhadores e do mercado de trabalho. A listagem foi retirada do Sistema Federal de Inspeção do Trabalho – SFIT e a publicação obedece ao art.630, § 7º, da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

O número de 3.038 AFTs, sendo uma parte deles em atividades internas, não atende ao que preconiza a Convenção 81 da Organização Internacional do Trabalho – OIT. A convenção não estipula números, mas aponta caminhos e deixa claro que o contingente deve ser suficiente para atender à demanda.

A presidente do SINAIT, Rosângela Rassy, pondera que, mesmo que o conceito da OIT esteja em discussão diante das mudanças do mundo do trabalho, ainda assim, o número é pequeno e precisa ser ampliado. Ela lembra que o próprio governo reforça os argumentos do SINAIT ao anunciar a criação de cerca de 15 milhões de novos empregos com Carteira de Trabalho assinada durante a gestão do ex-presidente Lula. O número de AFTs no período, ao contrário, diminuiu ou se estagnou, enquanto a demanda pela fiscalização aumentou naturalmente.

Veja aqui a lista completa dos AFT em atividade no Brasil.
Fonte: in.gov.br, Diario Oficial da União.
Agradecimentos á:
Jackson Felipe de Barros.

Hora extra: até que ponto vale a pena?


Infelizmente trabalhar além do horário do expediente tornou-se um hábito para muitas pessoas. O que deveria ser uma situação atípica, acaba comprometendo a vida pessoal e o descanso físico e mental de quem se depara com mais horas de trabalho.


As vezes a hora extra no serviço pode trazer benefícios e malefícios para o ser humano, como uma graninha a mais no final do mês e também prejudicar seu cérebro. As jornadas de trabalho nem sempre são boas, pois as muito longas podem comprometer a função cerebral, pois o excesso de hormônios do estresse pode explicar o problema.

Trabalhar muitas horas por semana traz efeitos danosos aos sistemas imunológicos, cardiovascular e digestivo. Os padrões de sono e descanso ficam alterados e podem surgir alterações de comportamento com manifestações agressivas. Ou seja quem trabalha mais, pode ter uma queda de capacidade que pode estar relacionada a alterações nos níveis de marcadores neuroendócrinos de estresse.

Pois pequisas se concentraram em pessoas com mais de 50 anos e buscava entender as correlações entre jornadas de trabalho e funcionamento cerebral. Os participantes foram avaliados com testes de linguagem, raciocínio lógico, argumentação e memória. Os resultados mostraram que aqueles que trabalhavam mais de 55 horas por semana apresentavam piores resultados nos testes iniciais.

Por isso temos que pensar muito bem antes de enfrentar longas jornadas de trabalho, pois temos que levar em consideração se vale a pena ganhar um dinheirinho a mais ou sofrer de sérias doenças.
Fonte: wikipedia.org, guiagratisbrasil.com, cliquesaude.com.br

Videos relacionados a segurança do trabalho.

Loading...